Entrevista com o guitarrista e vocalista da banda Turbo – Camillo Royale – sobre a gravação do CD “Eu sou Spartacus”

 

De uma maneira completamente SENSACIONAL, a banda paraense de Rock’n’Roll Turbo foi gravar o primeiro CD “Eu sou Spartacus” na Suécia. Sem mais delongas, saibam como foi esta aventura INCRÍVEL, nesta entrevista com o guitarrista e vocalista da banda Camillo Royale. Além dele, a banda ainda é formada por Netto Batêra (bateria) e Wilson Fujiyoshi (baixo).

 

O produtor foi o sueco Chips Kiesbye (produtor do CD clássico “By the Grace of God” da banda sueca The Hellacopters) junto com o engenheiro de som Henryk.

 

 

Como surgiu a ideia e o interesse de gravar o CD na Suécia?

Um amigo um dia nos disse que seria bacana termos um produtor nesse disco e perguntou nome de alguns caras famosos. Até então, pensei que era brincadeira dele, e algumas semanas depois o Jack Endino e o Chips nos responderam. Fechamos com o Chips e começou a correria atrás da grana. 

 

Como foi todo o processo para vocês gravarem o CD por lá?

Bem simples. Marcamos por e-mail a data livre no estúdio e fomos um ano depois. Foi o tempo de fazermos uma boa pré-produção das músicas em Belém com o nosso amigo Ivan Jangoux.
 A receptividade no estúdio como foi?
Muito boa.Não temos nada a reclamar e já estamos sentindo falta dos nossos novos amigos suecos.
O que os produtores acharam do som da banda?
Acredito que gostaram, pois só trabalham com bandas que eles gostam e achavam interessante o fato de cantarmos em português.
Conte como foi a adaptação dos músicos no clima gélido da Suécia?
Era inverno e tinha neve, mas fomos bem agasalhados.Depois de uns dois dias esse frio não era tão ruim assim.Já temos calor demais em Belém.Um friozinho foi bem vindo.
 Quais são as perspectivas após a gravação do disco?
Gostamos muito do que gravamos e vivemos lá.O que vier de bom agora será consequência do ótimo trabalho dos mestre Chips e Henryk. Espero que outras bandas possam ir lá e ter essa experiência de gravar um disco de Rock com esses caras.

Mestre Laurentino – O roqueiro mais velho do mundo – Fez um showzaço no Festival Cultura de Verão

Simplesmente, aos 87 anos de pura energia, o Mestre Laurentino, considerado o roqueiro mais antigo do mundo, deu uma aula de vitalidade no Pier da Casa das 11 Janelas, na quarta-feira (20), durante o Festival Cultura de Verão. Ele estava acompanhado da banda Os Cascudos, formada por Camilo Royale (guitarrista da banda Turbo), João Sincera (guitarrista da banda Sincera), Elder Effe (baixista da Johny Rock Star) e Ulisses Moreira (um dos melhores bateristas do Pará e que já fez parte da Stereoscope).

A apresentação foi recheada de músicas compostas pelo Mestre, ao longo de toda a trajetória. Um dos grandes momentos foi quando ele tocou “Lorinha Americana” e a “Morena Brasileira” (uma réplica para a história da lourinha).

O que também impressionou foi a interação do Mestre com os jovens músicos, que demonstraram estar muito afim de tocar um rock bem alto e agressivo. Foi diversão garantida para quem se dispôs a sair de casa, para conferir esse showzaço. “Foi um dos melhores shows até agora do Festival Cultura de Verão”, afirmou Félix, guitarrista da Felix y Los Carozos.

É HOJE: 3 ANOS DE COLETIVO MEGAFÔNICA – ROCK ROCKET E TURBO

Rock Rocket (SP) retorna a Belém depois de 4 anos pra celebrar os 3 anos de coletivo Megafônica

O Coletivo Megafônica, grupo de produção cultural que já realizou 2 edições do Festival Grito Rock, já trouxe a Belém grandes nomes do rock paraense, como Los Porongas (AC), Black Drawing Chalks (GO), Macaco Bong (MT) e mais dezenas de bandas, além de um festival próprio realizado anualmente – Festival Megafônica. Tudo isso construído em 3 anos de história, sempre tendo como foco, manter a cena autoral de rock do Pará continuamente fomentada.

Tudo isso, previamente, pra anunciar que o Megafônica realizará sua própria festa de aniversário pra comemorar seus 3 anos com a presença ilustre da banda Rock Rocket (SP), que se apresentará pela segunda vez em Belém, além de tudo matando a saudade dos fãs que tanto pediram por esse retorno. Além da esperada Rock Rocket, também esquentará o palco preparando para o Rock Rocket, a banda Turbo, um dos grandes nomes do rock paraense, com a super presença de palco do front man, Camillo Royalle. A discotecagem fica por conta dos badalados djs da produtora Vandersexxx, o residente Roberto Figueiredo e o convidado Eric Rocker. A festa acontece no dia 6 de maio, sábado, na casa de shows Café com Arte.

Durante a tarde, o Megafônica promove um esquenta para os fãs do Rock Rocket com o Bato Papo Musical, na livraria Saraiva (shopping Boulevard, 2º piso). Nessa programação, a banda tocará algumas músicas acústicas, responderá perguntas de jornalistas e do público e encerará a tarde com autógrafos. Tudo isso a partir das 18h, no dia do show (6 de maio).

Contato: 91 8309.5666 – Bárbara Andrade


Coletivo Megafônica
Ponto Fora do Eixo – Belém/PA
Assessoria de imprensa e divulgação

Megafônica:
http://www.megafonica.blogspot.com
http://www.twitter.com/megafonica

Fora do Eixo: http://www.foradoeixo.org.br

 

Banda Turdo nesta sexta-feira na Livraria Saraiva

 

Fins de Tarde: TURBO

O Projeto Fins de Tarde é fruto de uma parceria entre o coletivo Megafônica e a Livraria Saraiva, onde sempre, na última sexta-feira do mês, uma banda é convidada a realizar um pocket show no espaço Benedito Nunes nos altos da livraria, apresentando versões acústicas de suas músicas, o que cria um clima bem agradavél pra iniciar as noites de sexta feira ao som de boa música, que é o foco, sempre.
O projeto tem menos de um ano, mas já recebeu grandes bandas, como Aeroplano, Vinil Laranja, The Baudelaires, La Orchestra Invisível, entre outras.
Com o crescimento do Fins de Tarde, outros ítens passam a ser adicionados ao evento, como mostra de vídeos, transmissão ao vivo via web para  quem ficar em casa, além da venda de CDs das bandas a se apresentarem, com o objetivo incansável de mostrar o som que vem da cidade das Mangueiras, nas suas mais variadas formas, sem poder deixar o acústico de fora.

E no mês de abril…
Turbo!
Saturem as válvulas e estourem os motores, pois de Belém vem o som quente, nervoso, barulhento e envenenado da banda Turbo. Imaginem um carro desgovernado soltando fumaça ao ponto de explodir de tanta velocidade, abastecido com Nirvana, Foo Fighters, Black Sabbath,Hellacopters e Weezer, além de ser calibrado por sons modernos nas rodas equipadas com calotas dos anos 70.

Agora imaginem o desafio de todo esse barulho ser compilado em violões e alguns centavos de bateria? Sim, isso é que veremos no dia 29 de abril, às 19hs no 2º piso do shopping Boulevard, Livraria Saraiva. E o melhor: sempre com entrada franca!

Serviço:
Projeto Fins de Tarde apresenta: TURBO
Local: Livraria Saraiva (Shopping Boulevard, 2º piso)
Data: 29.04 (sexta feira)
Hora: 19 hs
Entrada franca

Entrevista Especial: Camillo Royale apresenta o selo Rajada Records e novos empreendimentos

Camillo Royale é guitarrista e vocalista da seminal banda paraense Turbo. Agora ele está investindo num projeto que o lançamento do selo Rajada Records, onde o produto principal será no formato de fitas cassetes. Além disso, a banda Turbo lançará no dia 29 deste mês, na Livraria Saraiva, o novo single “Apaixonado, sem medo de ser cafona”. Saiba todos os detalhes, agora nessa entrevista especial com o próprio.

Como surgiu a ideia de montar o selo? e por que no formato fita cassete?

A idéia do selo surgiu com a necessidade de poder lançar o material do Turbo.O primeiro lançamento seria um vinil de 7″, mas devido a atrasos de mix/master e falta de grana ficou pra depois. A ideia da fita veio de uma conversa casual com um amigo que falou que ainda lançavam fitas na gringa. Fui atrás e vi que era possível e achei um formato interessante. Daí juntei forças com o João Lemos (Sincera) que assina a parte gráfica do selo Rajada Records e o nosso 1º lançamento será o “Rajada on The tape Vol.1”. Um k7 split com Sincera no lado A e Turbo no lado B.

Fala sobre esse novo single da banda: “Apaixonado sem medo de ser cafona”?

Essa faixa é o single desse mês e estará no k-7  junto com mais 3 inéditas que gravamos pra esse projeto. Essa música foi gravada e produzida por Ivan Jangoux. Acredito que essa música seja uma das mais pops que tenhamos feito até hoje, mas apesar de ser inédita pro público é uma música bem mais antiga das que estão no 1º disco. Ela tem um pacote pra download contendo capa do single, música e cifras. (Para baixar o single clique aqui)

Para você qual é a importância das redes sociais para a divulgação do trabalho musical dos músicos e bandas independentes no Brasil?

De enorme importância. Sem elas muita gente não estaria conhecendo melhor sobre o nosso trabalho e a respeito do selo. Até hoje é impressionante saber que alguém em Porto Rico, como aconteceu recentemente, ter escutado e gostado da nossa música.

Como você analisaria a cena atual do rock paraense?

Mais bandas diferentes e interessantes surgindo e cada vez mais profissionais. Gosto muito do que se produz por aqui e o selo daqui a algum tempo pretende lançar outros artistas locais.

E quais são os próximos passos da banda Turbo?

Esse semestre lançar o k-7, semestre que vem finalmente o compaco 7″ e seguir tocando aonde nos chamarem.