Entrevista Especial: Camillo Royale apresenta o selo Rajada Records e novos empreendimentos

Camillo Royale é guitarrista e vocalista da seminal banda paraense Turbo. Agora ele está investindo num projeto que o lançamento do selo Rajada Records, onde o produto principal será no formato de fitas cassetes. Além disso, a banda Turbo lançará no dia 29 deste mês, na Livraria Saraiva, o novo single “Apaixonado, sem medo de ser cafona”. Saiba todos os detalhes, agora nessa entrevista especial com o próprio.

Como surgiu a ideia de montar o selo? e por que no formato fita cassete?

A idéia do selo surgiu com a necessidade de poder lançar o material do Turbo.O primeiro lançamento seria um vinil de 7″, mas devido a atrasos de mix/master e falta de grana ficou pra depois. A ideia da fita veio de uma conversa casual com um amigo que falou que ainda lançavam fitas na gringa. Fui atrás e vi que era possível e achei um formato interessante. Daí juntei forças com o João Lemos (Sincera) que assina a parte gráfica do selo Rajada Records e o nosso 1º lançamento será o “Rajada on The tape Vol.1”. Um k7 split com Sincera no lado A e Turbo no lado B.

Fala sobre esse novo single da banda: “Apaixonado sem medo de ser cafona”?

Essa faixa é o single desse mês e estará no k-7  junto com mais 3 inéditas que gravamos pra esse projeto. Essa música foi gravada e produzida por Ivan Jangoux. Acredito que essa música seja uma das mais pops que tenhamos feito até hoje, mas apesar de ser inédita pro público é uma música bem mais antiga das que estão no 1º disco. Ela tem um pacote pra download contendo capa do single, música e cifras. (Para baixar o single clique aqui)

Para você qual é a importância das redes sociais para a divulgação do trabalho musical dos músicos e bandas independentes no Brasil?

De enorme importância. Sem elas muita gente não estaria conhecendo melhor sobre o nosso trabalho e a respeito do selo. Até hoje é impressionante saber que alguém em Porto Rico, como aconteceu recentemente, ter escutado e gostado da nossa música.

Como você analisaria a cena atual do rock paraense?

Mais bandas diferentes e interessantes surgindo e cada vez mais profissionais. Gosto muito do que se produz por aqui e o selo daqui a algum tempo pretende lançar outros artistas locais.

E quais são os próximos passos da banda Turbo?

Esse semestre lançar o k-7, semestre que vem finalmente o compaco 7″ e seguir tocando aonde nos chamarem.