6ª Edição do Festival Se Rasgum – 3 dias de muita informação cultural e musical

Depois de cinco grandes edições e de citações elogiosas em alguns dos maiores veículos da imprensa musical do Brasil (revista “Bravo!”, “Folha de S. Paulo”, revista “Billboard” e MTV Brasil), o Festival Se Rasgum chega à sua sexta edição, que começa hoje no Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia. Hoje, o evento abrirá suas portas às 21h, e no sábado e domingo às 20h.

Na sexta-feira, o Salão B do Hangar recebe as bandas Eddie (PE), Bidê ou Balde (RS), as locais Projeto Charmoso e Circuito Floresta Sonora e o compositor Leoni (ex-Kid Abelha e Heróis da Resistência) para um show especial tendo como banda convidada Suzana Flag. No sábado, Lobão (RJ) é a grande atração do dia, com seu novo show eletrificado e mais de duas horas com hits de toda sua carreira. Antes dele tem as atrações locais Pirucaba Jazz, Maquine, Juca Culatra & Crystal Reggae e a Gang do Eletro. E as nacionais Totonho e os Cabra (PB/RJ), Babilak Bah (MG/PB) e De Falla (RS), além da atração internacional, a uruguaia El Cuarteto de Nos.

E o domingo, 20, terceiro e último dia do Festival, a programação sofreu duas alterações. A primeira com o cancelamento da participação da jovem cantora e compositora paulistana Mallu Magalhães, que cancelou todos os shows de sua nova turnê por motivo de saúde. Em seu lugar, no entanto, vem BNegão e Os Seletores de Frequência, com seu som que traz uma mistura equilibrada de funk, rock e hip hop. Esta será a primeira apresentação do ex-Planet Hemp com sua banda em Belém. BNegão já veio anteriormente como convidado do combo carioca Digital Dubs. A outra substituição da noite foi na troca do guitarrista que participará do show de Mestre Vieira. Fernando Catatau, do Cidadão Instigado, não poderá vir por uma incompatibilidade de agenda que o fez cancelar sua participação. Em seu lugar entra o guitarrista João Erbetta, da banda Los Pirata e do Grupo de Marcelo Jeneci, que fecha a noite e a sexta edição do Festival com o show do aclamado disco “Feito pra acabar”. Pela noite de domingo ainda passam os roqueiros de Belo Horizonte do grupo Fusile, além dos locais da Antcorpus, Vinil Laranja, Laurentino e Os Cascudos e a festa regional do Arraial do Pavulagem.

Dobradinhas ousadas marcam a 6ª edição

Conhecido pelas baladas pop nas rodinhas de violão, Leoni deve protagonizar o show mais curioso e ousados do 6º Festival Se Rasgum. Diante do público acostumado a uma pegada mais rock e aberto à experimentações do cenário independente não são as opiniões afiadas de Lobão que causam estranhamento e sim na escalação o compositor de hits como “Garotos II”, “Pintura Íntima” e “Exagerado”. O carioca Leoni se apresenta na noite de sexta-feira, acompanhado da banda Suzana Flag.

Mas Leoni, que utiliza as ferramentas colaborativas da internet para divulgar novos trabalhos e até organizar shows financiados exclusivamente pela iniciativa do público, subverte a lógica do artista “comercial”. A reinvenção inspirou o livro “Manual de Sobrevivência no Mundo Digital”.

Para fazer esta incursão um tanto ousada nos palcos do Se Rasgum o artista vai ter a companhia da banda paraense Suzana Flag, que tempera os clássicos de Leoni com um pop moderno e criativo. “A proposta foi uma surpresa, aceitamos imediatamente, o Leoni é um ídolo para nós”, conta o guitarrista Joel Melo.

No ano passado o encontro de Odair José com a banda mineira Dead Lover’s Twisted Heart rendeu um dos shows mais elogiados do festival. As antológicas “Cadê Você”, “Pare de tomar a pílula”, “Eu vou tirar você deste lugar”, entre tantos outros clássicos do brega dor-de-cotovelo levaram o gogó da plateia ao limite. Comoção também na parceria de Dado Villa Lobos e Los Porongas, o ex-guitarrista do Legião Urbana não se furtou a tocar músicas do repertório da banda acreana bem como relembrar hinos que marcaram a adolescência de todas as gerações desde a década de 80.

“Mestre Vieira e os Dinâmicos” apresentam a guitarrada

Além de Leoni e Susana Flag o festival deste ano reserva outras surpresas ao público: Mestre Vieira volta aos palcos com os parceiros das primeiras formações do grupo “Vieira e seu Conjunto”, sucesso nas décadas de 70 e 80. A reunião com Lauro Onório (guitarra), Idalgino Cabral (Contrabaixo), Luiz Poça (teclado) e o vocalista Dejacir Matos, dessa vez também acompanhados por Gorayeb (percussão) e Vovô (bateria) foi batizada “Mestre Vieira e os Dinâmicos”. A apresentação do grupo será registrada para o documentário sobre os 50 anos de carreira do músico, o projeto patrocinado pelo Conexão Vivo, por meio da Lei Semear do Governo do Estado, tem lançamento previsto para o próximo ano.

O grande mestre da guitarrada também recebe outro ás do instrumento, João Erbetta. O guitarrista que atualmente participa da turnê de Marcelo Jeneci, conheceu a guitarrada de Vieira durante uma visita à Belém em 2004, pouco tempo depois foi morar nos Estados Unidos e foi no jazz tradicional de New Orleans que Erbetta reencontrou a sonoridade que conheceu na Amazônia. “Parte do repertório era baseado nos Beguines da Martinica e outras partes caribenhas, na hora percebi a mesma conexão que havia com o carimbó e, consequentemente a guitarrada. Me interessei ainda mais pelo Mestre Vieira e pela sua música”. O convite para participar do show e do documentário foi aceito imediatamente, mas o repertório e os arranjos ainda são um mistério.

Serviço

6º Festival Se Rasgum. Hoje, amanhã e depois no Hangar. Ingressos: R$ 25 antecipado / R$ 70 (segundo lote) o passaporte para as três noites. No quiosque do primeiro piso do Boulevard Shopping e na Ná Figueredo (Gentil Bittencourt, 449). Realização: Se Rasgum Produções e Sonique Produções.